Cidades Evanescentes 2007. O real e o imaginário em espaços urbanos, aplicado à arquitectura da cidade e às suas gentes.
Trata-se de investigar algumas das estruturas arquitectónicas da cidade, o resultado é o negativo (em dupla exposição) da realidade que vemos normalmente, mudando a percepção espacial.

Com esta experiência, transformo e interrogo a cidade, sobre a sua própria realidade, representando-a com a soma de efémeros instantes.
Procuro desvendar encontros inesperados entre a arquitectura e a memória, entre o permanente e o efémero, entre a cidade e nossa própria vivência.
Imagens transparentes das cidades misturam-se entre si, originando novas construções relacionadas com o físico, o real e o mental.
Imagens situadas no limiar entre a referencialidade e a legibilidade, que nos transporta param a realidade ao mesmo tempo que nos recorda que a fotografia nunca a pode representar.

 

››